Natal – RN, descubra suas belezas

Natal é conhecida como a cidade do sol. O seu clima é próximo dos 30º, devido à sua localização na linha do Equador, que lhe propicia maior período de luz solar. São várias as suas atrações turísticas, a começar pela Barreira do Inferno e o Forte dos Reis Magos, localizado numa praia do mesmo nome, em estilo piscina, cercada por arrecifes. Além disso, podemos citar o cajueiro mais conhecido, que fica em Pirangi. Outros pontos turísticos que podemos destacar são: Genipabu, Ponta Negra, Redinha, Barra da Tabatinga, Mirante e a Lagoa de Arituba. Bem servida de hotéis, pousadas e restaurantes que oferecem cozinha nacional e internacional, como: frutos do mar, tacos, nachos e burrilhas.

Em dezembro ocorre o Carnaval em Natal, conhecido como o maior carnaval fora de época do mundo. A cidade abriga três das sete maravilhas do Rio Grande do Norte: a Fortaleza dos Reis Magos, o Frasqueirão e o Morro do Careca.

Outros locais para se conhecer são: Espaço Cultural Palácio Potengi, o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, a Memorial Câmara Cascudo, o Museu de Arte Sacra, Museu da Cultura Popular, o Centro Municipal de Artesanato, o Estádio João Machado e o Farol de Mãe Luíza.

Caminhe pela orla de Ponta Negra e relaxe na praia. No almoço, prove os pescados do Manary ou os crustáceos do Camarões Potiguar. À tarde, aventure-se numa das trilhas do Parque das Dunas e prove as tapiocas da Casa de Taipa.

Reserve um dia para fazer o passeio até Maracajaú ou Perobas – em ambos, você desfruta de belas piscinas naturais. Em outro dia, visite o histórico Forte dos Reis Magos e, em Parnamirim, o Cajueiro de Pirangi. Aliás, aproveite a visita para almoçar no estrelado Paçoca de Pilão, ali perto.

Inclua na rota um passeio de quadriciclo pelas lagoas Alcaçuz, Amarela e Juventude. Por fim, uma escapada até Pipa inclui parada na Praia do Amor e passeio de barco para ver golfinhos.

Ponta Negra é a região mais turística da cidade. Da praia, uma caminhada de cerca de 500 metros leva ao Alto de Ponta Negra, local que concentra o movimento à noite. O corredor formado pelas avenidas Engenheiro Roberto Freire, Senador Salgado Filho e Hermes da Fonseca, com trânsito intenso nos horários de pico, liga o bairro à região central (com atrações históricas e restaurantes), formada por bairros como Cidade Alta, Ribeira e Petrópolis.

De Ponta Negra até Santos Reis (onde está o Forte dos Reis Magos), passando pelas praias de Barreira d’Água, Areia Preta e dos Artistas, o caminho é pela Via Costeira (a dos resorts). Para circular entre essas regiões, use ônibus e táxis. Para conhecer os arredores, como as praias do sul, é bom estar de carro ou contratar receptivos.
O principal setor hoteleiro é Ponta Negra, que concentra pousadas, flats e hotéis (além de muitos bares e restaurantes). Os resorts alinham-se na Via Costeira. E há hospedagens mais distantes do burburinho, nas praias dos municípios de Parnamirim, Nísia Floresta e São José do Mipibu – todas no litoral sul.

Onde Comer
A comida típica nordestina é bem representada pelos estrelados Âncora. Caipira, Mangai e Paçoca de Pilão. Uma nova geração de chefs talentosos vem dando as caras em restaurantes como A Cozinharia e Between Food & Gallery. Dois polos gastronômicos concentram a maioria dos endereços: Ponta Negra, a região mais procurada pelos turistas, e Petrópolis, na parte mais antiga da cidade.

Comida Típica
Camarão – O Rio Grande do Norte é o segundo maior produtor de camarão do país (só perde para o Ceará). Em Natal ele aparece em receitas variadas, com preços mais amigáveis que no resto do Brasil. Quase toda oferta local chega de criações nas lagoas próximas à cidade. Onde comer: Nos restaurantes de pescados indicados – Camarões Potiguar e suas filiais são casas especializadas.
Ginga com Tapioca – A receita é simples: peixes miúdos desprezados pelos pescadores são fritos no dendê e espetados em palitos de coqueiro. Depois, são servidos com tapioca. Também chamada de “sanduíche”, é uma espécie de “arroz com feijão” dos locais – os nativos da Praia Redinha se orgulham em servir o quitute há 50 anos. Onde comer: Nos bares do Mercado Público de Redinha, a 8 km do Centro de Natal.

O Que Fazer
O programa clássico é subir e descer, a bordo de um bugue, as famosas dunas de Genipabu. Também de bugue, dá para fazer um bate-volta até Pipa, ao sul, visita obrigatória para quem gosta de praia. Para os destinos do litoral norte, casos de Maracajaú, Touros e Galinhos, os roteiros são feitos em vans.

Noite
Ponta Negra e Alto de Ponta Negra concentram os ritmos da capital. A casa noturna mais eclética é o Pepper’s Hall (Avenida Engenheiro Roberto Freire, 3071, Ponta Negra). Na parte alta do bairro, os bares Decky e Taverna Pub Medieval têm noites com bandas de pop rock ao vivo, e a casa Rastapé (Rua Aristides Porpino Filho) é o lugar para quem quer dançar forró. Em direção ao Centro, o Whiskritório tem rock e a Pink Elephant (Avenida Hermes da Fonseca, 754) toca de música eletrônica a sertaneja.
Em Natal, o sol brilha cerca de 300 dias por ano, com chuvas concentradas de abril a julho. Entre o final de novembro e o começo de dezembro, o Carnatal agita a cidade. De agosto a novembro e em março, o tempo é bom e as diárias e os passeios são mais baratos

Gostou da matéria? compartilhe com um amigo.

Vai Viajar! Aline, quero, viajar!

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.